Vitórias na HackTudo 2021 aproximam a RioBotz da marca de 200 medalhas

Depois de um ano e sete meses longe das competições (devido à pandemia de Covid-19), a RioBotz, equipe de robótica do CTC/PUC-Rio, foi uma das grandes campeãs do HackTudo 2021, tradicional evento carioca de cultura digital e maker que reuniu 102 robôs de 210 competidores de todo o Brasil na Cidade das Artes, RJ, nos dias 6 e 7 de novembro. A equipe conquistou três das nove medalhas disputadas no combate de robôs, com um ouro para a categoria Antweight e um pódio duplo com prata e bronze na categoria Fairyweight. Com essas três medalhas, a mais importante equipe universitária de robótica do Brasil chega a 190 medalhas conquistadas em 19 anos de competições.

O capitão da equipe e piloto de todas as lutas, o aluno de Engenharia Mecânica Matheus Amaral, conta que foram cerca de 50 lutas disputadas nas categorias de “inseto”, como costumam ser chamadas as categorias em que os robôs são bem pequenos e leves: Beetleweight (1,360kg), Antweight (454g) e Fairyweight (150g). Foram dez robôs da equipe e, segundo o capitão, a interação entre alunos novatos e veteranos foi importante durante a competição: “Com a renovação da equipe, o número de novatos que nunca tinha participado de uma competição estava em torno de 70%. Com isso, pedimos ajuda a quatro veteranos da RioBotz que, com sua experiência, ajudaram a equipe na manutenção dos robôs durante a HackTudo e orientaram os alunos nos intervalos das lutas. Sem isso, os resultados teriam sido outros.”

A final que deu o ouro na categoria Antweight teve uma característica interessante: foi entre a RioBotz e ex-alunos da RioBotz. A equipe carioca Kamahi é formada por estudantes formados no CTC/PUC-Rio e que fizeram parte da equipe. Com o conhecimento adquirido, resolveram criar sua própria equipe de competição de robôs. Na luta do Micro Maloney (RioBotz) x Cabritinha (Kamahi) (veja o vídeo aqui), a rampa do robô da PUC-Rio fez toda a diferença para a conquista do ouro. “Mesmo com as restrições da Covid-19, pudemos ir de vez em quando ao laboratório e resolvemos fazer uma nova rampa para o Micro Maloney. A medalha confirma que estávamos certos na decisão”, reforça Matheus Amaral, que diz ainda que a RioBotz projeta e cria diversos acessórios pensados de acordo com o adversário que será enfrentado e a rampa é um deles. O robô Micro Maloney foi campeão invicto nas seis lutas que disputou na HackTudo 2021.

Micro Maloney com um dos acessórios feitos na RioBotz

O pódio duplo com prata e bronze na categoria Fairyweight também teve a curiosa luta entre RioBotz x RioBotz antes das finais, com os robôs Baby Shark e Pico Titan.  A RioBotz, estrategicamente, definiu que o Baby Shark era o mais indicado, por estar invicto nas lutas que havia disputado, e a luta contra o companheiro de equipe terminou em W.O. No final das contas, os robôs das RioBotz lutaram nas duas disputas contra o Kowalski, da equipe Uai!rrior, da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI/MG), e o robô mineiro levou a melhor em ambas as partidas.

O robô Baby Shark venceu cinco das seis lutas que disputou

O menor de todos, o Pico Titan, de apenas 150g, trouxe o bronze para a RioBotz

“Chegar a 190 medalhas com essas três da HackTudo é bem bacana! Ainda mais sendo uma competição depois de tanto tempo parado! Elas são resultado da dedicação dos alunos e do aprendizado que conquistam na RioBotz”, revela o coordenador Prof. Marco Antonio Meggiolaro, do Departamento de Engenharia Mecânica do CTC/PUC-Rio. Meggiolaro está à frente da equipe desde 2003, quando a RioBotz foi criada para projetar, otimizar e construir estruturas mecânicas, sistemas de locomoção e atuadores com foco em robôs de combate. Para 2022, a equipe já se prepara para as duas primeiras competições do ano, que vão acontecer na Campus Party, em fevereiro, e a Iron Cup, em março.

Friday, November 19, 2021
Carregando