Professora dedica o prêmio às mulheres cientistas de todo Brasil

A Profª Ana Percebom, do Departamento de Química do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), foi premiada pela Sociedade Brasileira de Química (SBQ), com o Prêmio Hans Viertler para Jovens Cientistas, no evento virtual realizado hoje à tarde, 24/11, na Reunião Anual da SBQ. Percebom quebra uma hegemonia masculina de dez anos ao ser a primeira mulher agraciada com a condecoração destinada a cientistas de até 35 anos de idade.

O prêmio é decorrente do conjunto de estudos que a professora realizou, desenvolvendo pesquisa científica de forma independente. Para Percebom, o reconhecimento é uma importante comprovação de sua positiva atuação acadêmica “Pessoalmente, me mostra que estou seguindo o caminho certo, fazendo um trabalho relevante para a sociedade e sendo reconhecida por toda a comunidade de Química”, afirma.

A pesquisadora faz um alerta sobre a importância do incentivo ao acesso de meninas e mulheres ao mundo da ciência. Para ela, esse é o momento de romper com rótulos conservadores sobre a figura dos cientistas “No imaginário, sempre é um homem de meia-idade e com cara de louco”, brinca ela. A professora reforça que o real papel do cientista é aplicar os conhecimentos para auxiliar nas transformações sociais “Cientista não tem cara definida. Pode ser mulher, jovem, o que for. Basta ter curiosidade para querer entender o mundo e usar este conhecimento para ajudar a sociedade. É isto o que faz um cientista”, destaca.

Percebom lembrou sobre os desafios ainda enfrentados pelas mulheres cientistas. Segundo ela, as mulheres acumulam múltiplas jornadas, além de se verem em situações em que precisam tomar decisões que não seriam desafios, caso fossem homens. Além disso, para ela, o prêmio fomenta o reconhecimento de outras pesquisadoras, o que justifica dedicar seu prêmio às colegas cientistas.  

“Fiz escolhas pessoais em que abri mão de muita coisa para conseguir me dedicar como eu gostaria à pesquisa. E geralmente são sacrifícios que não fazem diferença na carreira dos homens. Particularmente, não me arrependo de nenhuma das minhas decisões, mas espero que um dia isso também não faça diferença na carreira das mulheres e que muitas outras venham a receber este prêmio. E é por isso que, na cerimônia, dediquei o prêmio a todas minhas colegas mulheres cientistas que se desdobram em suas múltiplas jornadas de trabalho e ainda fazem Ciência de qualidade”, revela.

No momento da premiação, a professora discursou chamando atenção para essa questão e agradeceu à SBQ pela honra de ter sido escolhida. Não deixou também de agradecer a todos que estiveram ao seu lado, nos bastidores, e que permitiram essa conquista: seu marido, seus familiares, seus colegas e principalmente seus alunos e pós-docs. “Foi bastante emocionante receber esse prêmio, esse reconhecimento. Inclusive, entre os outros premiados no evento, em outras categorias, fiquei honrada em estar ao lado de pessoas que eu admiro muito, como meu orientador de doutorado e alguns professores meus da época da graduação. O mais importante para mim é que esse prêmio seja uma inspiração para outras mulheres e jovens pesquisadores e motivo de um maior incentivo para a ciência”, reforçou a Profª Ana Percebom.

Wednesday, November 24, 2021
Carregando