André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho, da USP, foi o convidado do evento virtual que contou com o Reitor da PUC-Rio e o Decano do CTC

No último dia 27/08, cerca de 150 pessoas compareceram à aula inaugural do segundo semestre de 2021 do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio). O evento tratou da importância da Inteligência Artificial (IA), em especial no aprendizado de máquinas, para a qualidade de vida das pessoas. A palestra foi realizada pelo Professor Titular do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo (ICMC-USP), e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho. O encontro contou também com a presença do Reitor da PUC-Rio, Pe. Josafá Carlos de Siqueira, SJ, e do Decano do CTC/PUC-Rio, Prof. Sidnei Paciornik.  

O Prof. André de Carvalho compartilhou seus estudos de ciências básicas, engenharias, setor elétrico, política, mercado financeiro, setor cultural, agronegócio, saúde, educação e empresas privadas. Além disso, Carvalho apresentou o projeto Inteligência Artificial Recriando Ambientes (IARA), que tem como objetivo utilizar a inteligência artificial para impulsionar a criação de cidades inteligentes dentro e fora do país, com foco em cinco pontos: educação, mobilidade, meio ambiente, saúde e ciber-segurança. Essa iniciativa tem como propósito melhorar a qualidade de vida das pessoas. 

Um caso recente, do grupo de pesquisa que o professor lidera na USP, foi um projeto com a Faber-Castell em que o objetivo era que a IA identificasse qual tipo de madeira era adequado para a produção de lápis da empresa. Cerca de 14 tipos diferentes de problemas poderiam ser encontrados nas amostras. Com a aplicação da tecnologia, foi alcançado um resultado de 97% de confiabilidade. O professor alerta, no entanto, que ainda precisam ser feitos mais aplicações e estudos. Mas, inicialmente, a inteligência artificial conseguiu processar cerca de 150 tábuas por minuto.   

No setor da saúde, atualmente, o pesquisador tem desenvolvido trabalhos ligados à Covid-19, bem-estar de recém-nascidos, diagnóstico do câncer e epilepsia. O direcionado ao câncer tem como objetivo auxiliar dentistas na identificação de tumores na língua. A partir de um sistema que pode ser acessado pelo telefone celular, o dentista fotografa a língua do paciente e envia a imagem, que será pré-avaliada pela IA e, a partir daí, direcionada ao médico especialista, acelerando o diagnóstico dos pacientes.  

O professor destacou um projeto de atuação internacional que tem como meta acompanhar os primeiros mil dias de vida de mil crianças. Carvalho ressaltou que os primeiros anos são os mais importantes da infância, pois são desenvolvidas as primeiras atividades cognitivas, como a função executiva, que é conjunto de habilidades que envolve o planejamento de metas, autocontrole e tem relação com o foco das pessoas. A partir da formação executiva, é possível identificar de que forma o futuro jovem irá lidar com os obstáculos e oportunidades da vida. Uma função executiva bem desenvolvida nos primeiros mil dias aumenta as chances da criança ter mais qualidade de saúde física, neural e mental, além de reduzir a velocidade de envelhecimento, levando-a à fase adulta com uma maior produtividade. A IA entra na avaliação das informações sobre o ambiente em que a criança está se desenvolvendo, alimentação, relação com outras pessoa e material genéticos etc. No Brasil, 500 crianças estão sendo acompanhadas pelo projeto. 

Para a política, o professor tem projetos com os três poderes: legislativo, executivo e judiciário.  Com a Câmara dos Deputados, há uma proposta de expandir uma ferramenta já utilizada pelos parlamentares. A ideia é que quando um político for criar o texto de um projeto de lei (PL), seja possível fazer uma pesquisa prévia para buscar consultores e/ou profissionais aptos a ajudar na elaboração de defesas com embasamento científico, fortalecendo a argumentação do PL. Dessa forma, o projeto de lei poderá ser mais eficiente para a população, pois contará com o apoio de cientistas no assunto em questão. Além disso, a ferramenta também irá proporcionar ao parlamentar identificar leis semelhantes à que está sendo proposta.  

Por fim, o professor reforçou a importância de regulamentar a IA. A ideia não é desestimular a pesquisa, mas proteger a sociedade, dando início ao movimento da inteligência artificial responsável: a IA deve ser inclusiva; estar em sintonia com os objetivos sustentados pela Organização das Nações Unidas (ONU); além disso, passível de ser reproduzida, garantidora da privacidade, justa e transparente.  

“Todas as tecnologias possuem benefícios e riscos, para isso servem as regulações. Precisamos saber identificar o que não vamos utilizar do que devemos seguir adiante.  Vale reforçar que as ferramentas devem ser justas e não preconceituosas, e que a regulamentação da IA é importante para evitar e prevenir abusos. Mas nunca devemos evitar avanços que possam gerar qualidade de vida para a população, como empregos de qualidade e bem remunerados”, afirma o Prof. André de Carvalho.  

O professor Sidnei Paciornik reforçou a importância do debate da ciência como suporte à melhora da qualidade de vida: “Foi muito bom ouvir falar da ciência como um suporte à decisão! Como tomar decisões de qualidade, baseadas no que a ciência pode dar de estrutura e consciência para que as coisas possam ser bem-feitas”, afirmou o Decano do CTC/PUC-Rio.  

O Reitor da PUC-Rio, Pe. Josafá Carlos de Siqueira, SJ, considerou crucial a apresentação pois mostrou a interdisciplinaridade e a amplitude da IA. Pe. Josafá reforçou a importância do CTC/PUC-Rio dentro dos temas de tecnologia “O Centro Técnico Científico da PUC–Rio é uma referência de extra importância, não só na dimensão acadêmica, mas por conduzir a Universidade, sobretudo, nas áreas tecnológicas”, reforçou o Reitor.    

Aula completa em: https://ecoa.puc-rio.br/o-papel-da-inteligencia-artificial-ia-nas-ciencias-basicas-e-nas-engenharias

Wednesday, September 1, 2021
Carregando