A RioBotz, equipe de robótica do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), recordista brasileira de medalhas em competições de robô, participará este ano de dois grandes eventos de robótica realizados no País: o Salão de Robótica, que acontece nos dias 16 e 17 de agosto, em Curitiba, e a Winter Challenge, entre os dias 12 e 15 de setembro, na cidade de Concórdia em Santa Catarina, o maior torneio de robôs da América Latina.  Nesta última, a equipe carioca é a campeã de medalhas, com 51 no total, sendo 30 de ouro.

Composta por 25 componentes e o coordenador, Prof. Marco Antonio Meggiolaro, a RioBotz promete grandes emoções. Alguns robôs campeões já conhecidos pelos adversários voltarão ainda melhores às disputas. Os novos projetos, ainda segredo do grupo, destacam-se com um formato diferente se comparados aos modelos usuais de robôs de combate.

Este ano, a RioBotz começou a lutar nas competições brasileiras com robôs da categoria Fairyweight, de 150g, até então só utilizados em torneios internacionais. Além disso, o grupo desenvolveu atualizações para disputas em arenas grandes e traz mudanças para os robôs de 3kg (que pertencem à categoria “sumô”). Propostas para a categoria Antweight também fazem parte dos destaques deste ano, mas que ainda são mantidos em segredo pelos membros da RioBotz. O já conhecido PUMA+ — robô que tem como objetivo a superação de obstáculos de forma autônoma em um percurso de três marcos, disputado em um campo de grama, a céu aberto e suscetível a todas as condições externas do meio ambiente — foi atualizado com um novo sistema de controle capaz de integrar diversos sensores para uma melhor precisão de seus movimentos durante as disputas.

“A equipe faz a seleção dos robôs antigos para as novas lutas a partir do desempenho deles em batalhas anteriores. Assim, fica mais fácil avaliar e melhorar a performance para as próximas disputas. As novas ideias são projetadas em softwares gráficos, debatidas pelo grupo, projetadas no laboratório e testadas exaustivamente até serem aprovadas e selecionadas para as competições”, explica Meggiolaro, coordenador da RioBotz.