O Minotauro, principal robô da equipe de robótica RioBotz, do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), foi o segundo colocado na final do programa BattleBots, cujo último episódio da terceira temporada foi ao ar na TV norte-americana no dia 05 de outubro. Esta é a segunda vez que a equipe carioca participa da competição, tendo levado o título de ‘robô mais destruidor’ na temporada de 2016. Para chegar ao vice-campeonato, em uma disputa que contou com cerca de 60 equipes, a RioBotz competiu em oito lutas, das quais saiu vitoriosa seis vezes. A novidade do Minotauro para a BattleBots foi a arma: um tambor que agora possui três dentes, dois de um lado e um do outro, com o objetivo de tornar o golpe no adversário ainda mais efetivo. O robô também ganhou novas baterias da MaxAmps, uma das melhores empresas de fabricação de baterias do mundo e que patrocina a RioBotz, além da Vex Robotics, fabricante de brinquedos que possibilitou, com uma ajuda financeira, a aquisição de novos componentes eletrônicos.

Neste ano, a competição se dividiu em duas fases. A primeira, de caráter classificatório não eliminatório, consistiu em quatro lutas, cujo objetivo era somar pontos para cada equipe. Nesta primeira fase, a equipe da PUC-Rio perdeu apenas a primeira luta, contra o robô Tombstone, campeão da última temporada do programa, por uma fatalidade: o robô Minotauro ficou preso na arena.

Ao final das quatro lutas, as 16 equipes com maior número de pontos se classificaram para as oitavas de final, momento em que começou a fase de mata-mata, e, com isso, o desafio de derrotar todos os adversários para ser o campeão da BattleBots. O Minotauro chegou à final após nocautear três adversários seguidos: nas oitavas, venceu o famoso Witch Doctor; nas quartas, o derrotado da vez foi o potente Monsoon, robô inglês que acabou recebendo o prêmio de revelação do ano nesta temporada e a semifinal foi marcada pela luta contra o Lock Jaw, grande campeão da BattleBots da década passada e que já compete há 22 anos.

Com o favoritismo na competição, a RioBotz disputou a final contra o Bite Force, vencedor da edição de 2015, em uma luta em que a apreensão e a emoção duraram até os segundos finais. “Foi bem disputado: danificamos três dos quatro motores da arma do adversário, mas nossa arma também parou de funcionar. No final do combate, o motor sobrevivente do Bite Force conseguiu acionar sua barra giratória e acertou um último golpe no Minotauro, quebrando seu chassi e fazendo o robô parar de funcionar. Apesar da derrota, todos elogiaram a luta porque foi uma das finais mais emocionantes do programa”, afirma o coordenador da equipe, Prof. Marco Antônio Meggiolaro, do Departamento de Engenharia Mecânica do CTC/PUC-Rio.

Para o futuro, o vice-campeão já conta com inovações em andamento. “O Minotauro ficou bastante danificado na final da Battlebots. Ao invés de um problema, vimos aí uma solução e aproveitamos para mudar o projeto do robô. Ele estará maior, mais alto, com uma arma maior e novas rodas. Tudo isso sem perder sua robustez. É um investimento para torna-lo ainda mais competitivo, mantendo sua fama de destruidor”, conta o Prof. Meggiolaro.

Em função da experiência que a BattleBots exige, a longa duração de quase três semanas da gravação do programa, em abril deste ano, e com datas muito próximas da competição RoboGames, nos EUA, a equipe que participou desta temporada era composta por ex-integrantes da RioBotz: Rodrigo Duque Estrada, Carlos Junior, Rodrigo Nogueira, Lohan Freitas e Gabriel Barsi, além do piloto Daniel Freitas. A BattleBots está em processo de dublagem e esta terceira temporada será exibida no Brasil, em um dos canais de TV a cabo, mas as datas e os demais detalhes ainda não foram confirmados.

Novas competições ainda este ano

A RioBotz já está confirmada em duas outras competições em 2018. Entre os dias 02 e 04 de novembro, cinco robôs disputarão duas categorias no HackTudo, evento hackathon que acontecerá no Rio de Janeiro. Já entre os dias 14 e 16 de dezembro, a equipe viaja pela primeira vez à Índia, aonde o robô Touro Classic, da categoria Middleweight (até 54,5kg/120lb), vai competir na International Robowars, em Mumbai, onde será realizada a TechFest, a maior feira asiática de ciência e tecnologia.

 

 

Informações para a imprensa:

APPROACH COMUNICAÇÃO

Assessoria de Imprensa do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio)

Maria Estrella (maria.estrella@approach.com.br)

Tel.: (21) 9-9301-4332 / (21) 3527-1303, ramal 43 (CTC/PUC-Rio)

(21) 3461-4616, ramais 109 e 187 (Approach Comunação)

Bianca G. Sallaberry (bianca.gomes@approach.com.br)

www.approach.com.br