A equipe AeroRio/PUC-Rio, coordenada pelo Prof. Eduardo Costa da Silva, do Departamento de Engenharia Elétrica do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), acaba de sagrar-se tetracampeã na classe Advanced da competição SAE Brasil AeroDesign, depois de vencer também nos anos de 2012, 2013 e 2017, sempre nesta classe. Com esta vitória na competição, que aconteceu de 1 a 4 de novembro, na cidade de São José dos Campos, em São Paulo, a equipe carioca está classificada para a competição SAE AeroDesign East 2019, torneio mundial de aviação para alunos universitários, que acontecerá em Fort Worth, Texas, nos EUA, de 8 a 10 de março de 2019.

A classe Advanced é a mais complexa da SAE Brasil AeroDesign (que conta ainda com as classes Micro e Regular) e reúne as equipes mais preparadas do Brasil. Os juízes da competição são engenheiros da Embraer, que avaliaram os projetos com extremo rigor, levando em conta o regulamento da competição, que é baseado em desafios reais enfrentados pela indústria aeronáutica. A aeronave premiada da AeroRio/PUC-Rio foi projetada e construída pelos integrantes da equipe e tinha cerca de três metros e meio de envergadura, estrutura feita de fibra de carbono e propulsão elétrica. Todas as peças do avião foram construídas em laboratórios da PUC-Rio, assim como a eletrônica embarcada, responsável por armazenar dados do voo. Além disso, foi projetada uma estação de solo para acompanhar as informações do voo em tempo real e visualizar as imagens captadas pelo sistema de FPV embarcado na aeronave.

Além do título de campeã na classe Advanced, a equipe recebeu uma Menção Honrosa por melhor sistema de aquisição de dados, atestando a qualidade dos diversos parâmetros medidos em voo, tais como: RPM do motor, tempo de voo, weight on wheels, valor da altitude pressão, posição da aeronave via GPS, proa magnética, deflexão do leme, taxa de rolamento e arfagem, fator de carga, atitude e inclinação lateral.

A SAE Brasil AeroDesign foi dividida em duas etapas: Competição de Projeto e Competição de Voo. Na primeira, a equipe da PUC-Rio elaborou um relatório técnico com especificações da aeronave para justificar o raciocínio utilizado para conceber a proposta de veículo desenvolvida pela equipe. Este relatório foi avaliado por uma comissão técnica e, posteriormente, apresentado de forma oral diante de uma banca examinadora. A equipe obteve a terceira maior nota em relatório técnico e a segunda melhor nota em apresentação oral, apenas quatro décimos atrás da equipe Leviatã (ITA/SP).

Na segunda etapa, foram realizadas seis baterias de voos, que puseram à prova as características da aeronave. A pontuação é maximizada pelo aumento da carga máxima que cada avião pode carregar e pela redução da área de sustentação. Para o coordenador da equipe, Prof. Eduardo Costa da Silva, o resultado obtido é fruto da dedicação de todos os integrantes da equipe: “O sucesso alcançado não seria possível sem o esforço e dedicação de cada um dos membros de nossa equipe. Nossa aeronave é fruto de um primoroso trabalho de equipe, onde cada um deixou sua marca. O projeto é movido a aprendizado e dedicação, muita dedicação de todos os envolvidos. É um imenso orgulho perceber uma evolução contínua que nos permite alcançar objetivos cada vez mais ambiciosos”, afirma.

A classe Advanced, dentre todas as categorias, é a única que têm como exigência a presença de um sistema eletrônico embarcado capaz de monitorar diversos parâmetros da aeronave e transmiti-los ao operador de pista. A qualidade dos dados medidos também afeta diretamente a pontuação de voo.

Além disso, neste ano, pela primeira vez na história da competição, o regulamento distribuiu um bônus de pontuação associado a uma missão de reconhecimento, na qual deviam fotografar um alvo em solo durante o voo através de uma câmera embarcada, operada por um integrante em solo. O alvo era uma caixa com quatro círculos dispostos no fundo, cada um posicionado próximo aos cantos do fundo da caixa. A foto considerada ideal é a que mostra as quatro circunferências de forma nítida a olho nu. A equipe conseguiu realizar a missão de reconhecimento com pontuação máxima ao fotografar todos os círculos com sucesso. Para o capitão da equipe, o campeonato foi um um dos mais desafiadores desde que entrou para a AeroRio/PUC-Rio.

“A competição SAE Brasil AeroDesign deste ano com certeza foi a mais disputada que já participei. Diversas equipes conseguiram colocar o seu projeto em prática e realizar voos ao longo da competição, o que valoriza ainda mais a conquista da nossa equipe. Ser o capitão ao longo desse período me fez crescer muito, tanto no âmbito pessoal quanto profissional. Eu só tenho a agradecer ao coordenador Eduardo, e aos membros da equipe por confiarem essa posição tão importante a mim”, ressalta Thiago Costa, capitão da AeroRio/PUC-Rio.

Segundo o vice-capitão, Gabriel Vidigal, um dos responsáveis pela área de eletrônica da equipe, trazer confiabilidade ao projeto, se mostrou um grande desafio: “Nossa equipe tem um histórico de destaque na parte eletrônica da competição, e dar continuidade a essa história foi uma responsabilidade muito grande. Com certeza minha maior dificuldade durante o projeto foi a confecção de um sistema confiável, com muitos testes e ajustes, o que não teria sido possível sem a grande ajuda e ensinamentos de um membro mais experiente, Renan de Lima. Além disso, foi minha primeira competição como vice-capitão, uma responsabilidade muito boa, e agradeço muito ao nosso coordenador Eduardo e ao nosso capitão Thiago pela confiança.”

O campeonato reuniu mais de 1.300 participantes de 95 equipes, representando 79 instituições de ensino superior de 20 Estados e o Distrito Federal, além de equipes da Venezuela e do México. Ao final, foram premiadas duas equipes da Classe Regular, uma da Classe Advanced e uma da Classe Micro. A AeroRio/PUC-Rio foi a única equipe carioca campeã na competição e disputou a classe Advanced com outras nove universidades brasileiras: Car-Kará (UFRN), Urutau (UEA), Leviatã (ITA), EESC-USP Charlie (EESC-USP), Venturi (CEFET/RJ), LOTS Aerodesign (UNIFEI), Enterprise (UNIVAP) e Canarinho Advanced (UNESP). As equipes Car-Kará e Leviatã ficaram com o segundo e o terceiro lugar, respectivamente.

 

Informações para a imprensa:

APPROACH COMUNICAÇÃO

Assessoria de Imprensa do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio)

Maria Estrella (maria.estrella@approach.com.br)

Tel.: (21) 9-9301-4332 / (21) 3527-1303, ramal 43 (CTC/PUC-Rio)

(21) 3461-4616, ramais 109 e 187 (Approach Comunicação)

Bianca G. Sallaberry (bianca.gomes@approach.com.br)

www.approach.com.br