Aplicativo “Alice” destaca mulheres envolvidas com obras de ficção, na frente ou por trás das câmeras. Gratuito, já pode ser baixado em dispositivos Apple

 

Segundo pesquisa do Instituto Geena Davis, dentre os filmes que ganharam notoriedade entre 2010 e 2013, apenas 23% tiveram protagonistas mulheres. Mulheres representam apenas 21% dos cineastas, 7% dos diretores, 20% dos roteiristas e 23% dos produtores. Quando os dados são referentes a personagens com fala, apenas 31% eram mulheres. Para melhorar esta realidade, os alunos Ana Cardoso, Felipe Viberti, Gabriella Lopes e Guilherme Marques, do Apple Developer Academy do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), desenvolveram um aplicativo gratuito para iPhone que lista a representação de mulheres no cinema mundial e pode ser baixado no link http://apple.co/2zyYs6J. Intitulado “Alice”, o app destaca as produções de acordo com a participação das mulheres no projeto, seja em frente ou por trás das câmeras. O nome é uma homenagem a Alice Guy, primeira mulher da indústria cinematográfica a ser cineasta e roteirista de filmes de ficção, a partir de 1896.

 

A interface do aplicativo é intuitiva: na página inicial, uma série de filmes é disposta com os pôsteres oficiais, além de um botão para o perfil do usuário e uma ferramenta de busca. O app conta com um sistema de selos, que indicam a representação feminina na obra. A aluna Gabriella Lopes, uma das desenvolvedoras, ressaltou: “Hoje em dia, existem mais de 42 mil mulheres da indústria cinematográfica cadastradas no aplicativo, o que inclui diretoras, roteiristas, produtoras, atrizes, etc. E os números aumentam toda semana, quando atualizamos os dados do aplicativo”.

 

A análise da representatividade pode ser feita pelo próprio usuário, ao realizar o “Teste de Bechdel”. Este teste, criado em 1985, é uma forma de avaliar a importância de personagens femininas em obras de ficção. Para que o filme receba o selo positivo do aplicativo “Alice”, é necessário que a obra contenha, no mínimo, duas personagens mulheres com nomes – que conversem entre si e que o assunto conversado não seja sobre homens. Mais de cinco mil filmes já tiveram o teste realizado no aplicativo. As páginas de cada filme também apresentam uma sinopse da história e o botão para a realização do Teste de Bechdel.

 

Outro selo utilizado para classificação no app é o “Mulheres na Equipe”, que é atribuído a filmes que contenham, pelo menos, uma mulher por trás das câmeras, em um cargo de direção ou roteiro. Todas as mulheres da equipe ganham destaque, independente da função que realizaram. Ao clicar em uma das profissionais, o usuário irá se deparar com uma página de perfil, que disponibiliza uma pequena biografia e a filmografia completa da pessoa. “Temos atualmente mais de 60 mil títulos no app, dos quais apenas 3.722, cerca de 6%, receberam o Selo de Mulheres na Equipe. Queremos chamar atenção para este número e, ao mesmo tempo, incentivar cada vez mais a participação feminina na indústria do cinema”, finaliza a aluna Gabriella Lopes.

 

Informações para a imprensa:

APPROACH COMUNICAÇÃO

Assessoria de Imprensa do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio)

Maria Estrella (maria.estrella@approach.com.br)

Tel.: (21) 9-9301-4332 / (21) 3527-1303, ramal 43 (CTC/PUC-Rio)

(21) 3461-4616, ramais 147 e 164 (Approach Comunicação)

Bianca G. Sallaberry (bianca.gomes@approach.com.br)

www.approach.com.br