O professor Alberto Sayão, do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), participou no mês de abril de dois importantes eventos a respeito de segurança de barragens de rejeitos.

Com sua experiência na área de engenharia geotécnica, o professor foi um dos convidados do Seminário sobre Segurança de Barragens de Rejeitos, evento promovido pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a Academia Nacional de Engenharia (ANE) nos dias 1º, no Rio de Janeiro, e 2 de abril, em Belo Horizonte. O encontro foi dividido em duas partes e Sayão participou de ambas.

O evento do dia 1º aconteceu na sede da ABC, no Rio de Janeiro, e trouxe temas relacionados à engenharia, segurança, legislação e fiscalização. No dia seguinte, ele foi realizado na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, e mostrou os impactos socioeconômicos e ambientais nas comunidades que vivem no entorno destas barragens. Nos dois dias, o Prof. Sayão apresentou um resumo dos dados e discussões levantados nas últimas reuniões sobre segurança de barragens de rejeitos, que se tornaram frequentes logo após o rompimento da barragem em Mariana, em novembro de 2015.

Com a tragédia de Brumadinho, em janeiro deste ano, a questão da segurança de barragens também foi tema de discussão no dia 17 de abril, na Fundação Dom Cabral, que contou com a participação do Prof. Sayão como moderador. O Campus Aloysio Faria, em Nova Lima, MG, recebeu neste dia o “Seminário Técnico Internacional sobre Segurança de Barragens e o Futuro da Mineração em Minas Gerais”, promovido pela Vale e organizado pelo IBRAM, Instituto Brasileiro de Mineração. Sayão esteve presente à mesa “Barragens de rejeitos: projeto, construção e operação”, que abordou as principais alternativas de projetos de barragens de rejeitos e seus desafios considerando o longo prazo de construção e operação. Para o debate, foram convidados Charles Dumaresq, M.Sc, representante da Associação de Mineração do Canadá (MAC), o Prof. Paulo Teixeira Cruz, D.Sc, da USP, e Suzanne Lacasse, PhD, da Norwegian Geotechnical Institute.

Neste mês de maio, o Prof. Sayão também irá participar de eventos sobre o mesmo tema na Universidade Federal do Tocantins, em Palmas, e na Universidade Federal de Rondônia, em Porto Velho.